quinta-feira, 24 de março de 2011

Quezílias...

          Apesar de sermos um país minúsculo, com uma densidade populacional muito inferior a muitas cidades espalhadas por esse mundo fora, é histórica a estúpida e primária rivalidade entre Porto e Lisboa. É histórico mas sem qualquer sentido nós, portuenses, chamarmos mouros e saloios aos lisboetas e por sua vez, estes chamarem-nos cabeçudos, parolos e outros nomes menos dignificantes.
          Se essa rivalidade fosse salutar gerando uma competição saudável e benéfica para o desnvolvimento do país, aí, eu aplaudiria de pé. No entanto, não é isso que se passa e, se por acaso tranferirmos essa competição para o fenómeno futebol, nomeadamente, Porto e Benfica, a rivalidade ultrapassa o campo da simples competição, para se transformar, de imediato, em ódio. Ódio profundo, fomentado pelos próprios dirigentes destes clubes, gente com responsabilidade que tinha obrigação de dar o exemplo!
          Por amor de Deus, meus senhores!... Cresçam!!!...   

Um beijo para as meninas e um abraço para os rapazes,

Jorge

7 comentários:

M. Sousa disse...

Certo, muito certo. Um país tão pequenino com uma população que quando quer até é simpática, inteligente e solidária... Vá-se lá entender!

M. Sousa

Maria disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
tecas disse...

Tem toda a razão! O problema é que eles não crescem...mas aparecem...rs
Adoro como diz as coisas.
Abraço amigo

Marta disse...

Exactamente o que penso....
Quando é necessário trabalhar em conjunto.....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

A. Jorge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Valadas disse...

É lamentável que o ser humano em vez de progredir nos sentimentos de paz, sente prazer nas discórdias.
Concordo consigo, Jorge... quando se refere à rivalidade entre os habitantes do Sul e do Norte, propriamente Porto e Lisboa. Nunca compreenderei a existência destas rivalidades... se somos tão " pequenos" em tudo!

Gostei de o ler.

Bom inicio de semana.
Beijo.

Maria

wind disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.